quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

DROGAS X SEXUALIDADE

Drogas ilícitas, legalizadas e até mesmo alguns medicamentos podem prejudicar a saúde em geral e, também, o desempenho sexual do ser humano.

O álcool é uma droga legalizada muito consumida, sobretudo entre os jovens. Seu uso em pequenas quantidades promove o embotamento do senso crítico, baixando o nível de censura e proporcionando, principalmente nos mais tímidos, maior desenvoltura e liberdade no momento da intimidade sexual. Com isso, muitos jovens (e adultos também!) acreditam (erroneamente) que o álcool contribui para melhorar a qualidade da relação sexual. No entanto, o contrário é verdadeiro: o uso contínuo e repetitivo do álcool pode provocar a alterações hormonais e vasculares crônicas , gerando diminuição da sensibilidade na região dos genitais e dificultando a obtenção do orgasmo ou da ereção peniana.

O cigarro é outra droga lícita (legalizada), tão prejudicial quanto o álcool, uma vez que o uso também provoca, a longo prazo, problemas vasculares no pênis. Sob efeito do tabaco, as artérias do pênis podem sofrer espasmo e obstrução, ocasionando comprometimento no mecanismo de ereção.

Drogas ilegais, como maconha, cocaína e heroína, também diminuem a qualidade do desempenho sexual, geralmente causando disfunção erétil no homem e inibição do desejo e/ou excitação na mulher.

Alguns medicamentos, como anti-hipertensivos, antidepressivos, anabolizantes e tranqüilizantes também podem provocar temporária dificuldade na resposta sexual, principalmente inibindo o desejo e comprometendo a ereção. Daí a necessidade de indicação e acompanhamento por parte de um médico.

Sexualidade não combina com o uso de drogas de qualquer natureza, portanto. Nada melhor do que zelar por sua saúde física e mental, buscando o exercício de uma vida saudável e pautada na ausência de vícios.